Os Freelancers de Verão

ferias

Este é provavelmente um tipo de post que não é muito comum aqui no SerFreelancer, no entanto vejo-me na “obrigação” de dar a minha opinião sobre um assunto que, no meio dos Freelancers, é algo debatido até com algum “desconforto”.

O Freelancer é visto como uma excelente forma de ganhar dinheiro extra, para muitos como um escape às circunstâncias económicas em que o país vive, para outros como uma óptima forma de ocupar o tempo de Verão e ainda ganhar algum com isso. No entanto, esse tipo de abordagem é a que causa algum desconforto a todos aqueles que vivem disto a 100%.

Alguém que encara o Freelancer como uma forma de ganhar dinheiro durante um curto espaço de tempo, certamente que o fará com o máximo de probabilidade de conseguir o máximo de clientes possível, isto é, praticando preços quase irrisórios que chegam por vezes a ultrapassar o ridículo.

Se a muitos não mete qualquer “espécie”, que é como quem diz, nem diminui nem aumenta o número de clientes, para outros poderá ser o primeiro obstáculo que vão ter que ultrapassar. De uma forma resumida, para os Freelancers com muita experiência e com uma boa carteira de clientes, não fazem diferença, pois os clientes vão acabar por “cair” novamente no mesmo tipo de Freelancer pois preferem pagar mais e terem bons trabalhos. Mas para aqueles Freelancers que estão a começar carreira, praticando o tipo de preços ajustado à qualidade, certamente que vão tirar muitos potenciais clientes.

Ao mesmo tempo, esses Freelancers estão também a estragar o mercado para os clientes, pois a maioria procura o mesmo serviço ao mais baixo preço possível (característica de todo o tipo de clientes, nacionais ou internacionais), o que poderá muitas vezes resultar em despesas a duplicar. Enquanto trabalham com Freelancers sem qualidade, apenas pelo preço baixo, estão a colocar o seu negócio nas mãos de alguém inexperiente, o que em muitos casos transforma-se numa necessidade posterior de procurar o mesmo tipo de Freelancers, desta vez pagando mais e obtendo mais qualidade, para a realização do projecto tal como eles querem.

Será o mundo Freelancer um mundo “víbora” para este tipo de possíveis trabalhadores?

E vocês Freelancers, acham que o mercado, de alguma forma, é estragado por estes Freelancers de férias de Verão?

Pode gostar também de:

  1. Carlos Almeida diz:

    Bom dia Ana, gostei do teu Post e concordo contigo 1000000%. Parabéns, vou partilhar num grupo do FB que administro, o link é o seguinte:

    http://www.facebook.com/groups/125928960825300/

  2. Nunca me fez confusão este tipo de freelancers. Eu acredito que existe espaço para cada serviço e cada gama de preços no mundo online. É normal que alguém que se esteja a iniciar e precise de um logo ou um artigo procure os preços mais baratos, enquanto que alguém com outro tipo de responsabilidade e profissionalismo procure um profissional de topo e não se importe de pagar em concordância.

    O comércio chinês e os seus preços irrisóriamente baixos vieram destruir muito comércio. No entanto marcas como Apple continuam a aumentar os seus lucros todos os anos. Porquê? Porque por mais cópias que existem os consumidores sabem que a Apple é uma marca de qualidade e confiança e não se importam de pagar mais do que por um produto barato mas que sabem que é inferior.

    Penso que no mundo online seja assim, estes “freelancers de verão” podem destruir o negócio de muita gente mas os verdadeiros excepcionais, os grandes designers, webdevelopers, produtores de conteudo etc são reconhecidos pelo seu trabalho e não sofrem com este problema. No fundo trata-se da construção da imagem com produções de qualidade.

    Quanto às despesas a duplicar, penso que isso será um problema do público e não propriamente destes freelancers. Um cliente que pede uma imagem corporativa por 20€ não pode estar seriamente à espera de um produto de qualidade. Nestes casos a solução terá de passar pela mudança de mentalidades e ensinar o Português a investir devidamente, ao contrário da banalização e “sucatização” que existe actualmente no mercado Português.

    Ou seja na minha opinião o problema passa pelo público e pela aversão ao risco e investimento que se transmmite em Portugal e não propriamente nas pessoas que oferecem estes serviços :)

  3. Os freelancers de verão são como a estação do ano, vão e vêm… A menos que seja um projecto de curta duração que não requeira continuidade, os clientes quando voltam de férias continuam a solicitar os serviços aos freelancers de sempre…

  4. betanalista diz:

    e isto acontece só no mercado freelancer?

    acontece em qualquer mercado, não estou contra, porque se os teus clientes ou os de outro freelancer qualquer procuram esses serviços é porque ou estão descontentes ou são maus clientes….

    tão simples quanto isto..

    :P

  5. Assumo isso como concorrência desleal, que apesar de tudo não me afecta. Porquê? Porque os clientes reconhecem o trabalho, mesmo que estejam constantemente à procura de melhores preços e porque regra geral esses freelancers acabam por desistir com bastante facilidade, pois o que ganham não lhe compensa, ou a qualidade é tão baixa que deixam de receber pedidos. Mas bom post, também faz falta que as pessoas entendam que a qualidade paga-se e no fim de contas isso acaba também por compensar nos projectos onde os artigos estão inseridos. Qualidade = mais visitas ;)

  6. Tome M. diz:

    Eu não sou Freelancer que trabalha para viver no dia a dia, pelo que vou ao longo do ano fazendo alguns trabalhos.

    No entanto tenho de concordar que o Freelancers de verão estragam um pouco o mercado. Falo por experiência própria e que explico de seguida:

    Estou inscrito em várias plataformas de Freelancers onde já tenho uma certa reputação e feedback positivo.

    Pela lógica, eu ao candidatar-me a um trabalho deveria ter mais hipóteses pois sabem à partida que devo trabalhar bem.

    Acontece que preferem Freelancers que fazem mais barato, mesmo sendo estes novos membros na plataforma (com 1-2 semanas de registo)

    A minha sorte, e a sorte de muitos que andam nisto, é que já tenho clientes fixos que costumam voltar regularmente.

  7. Fábio diz:

    Considero este artigo como “mais um” na blogoesfera. Cada caso é um caso, cada mercado é um mercado, cada cliente é um cliente. Cada freelancer tem o direito de decidir com que tipo de mercado e clientes quer trabalhar. A questão retórica que coloco à autora e restantes leitores é: o quê que esperam, realmente, da vossa carreira enquanto freelancers? Perante a vossa reflexão pessoal chegarão à conclusão se vale ou não a pena concorrerem com estes freelancers inexperientes.

  8. Hugo diz:

    Olá Ana, mais um excelente post e útil para os freelancers.
    Desconhecia o conceito de freelancers de “verão”, mas acho que o próprio conceito de freelancer nos coloca nesta posição: a de haver concorrência, muita concorrência. É simplesmente a mesma questão das empresas que laboram na mesma área que nós freelancers, a de que os freelancers estragam o trabalho a essas mesmas empresas..torna-se portanto um ciclo onde não podemos correr o risco de dar um tiro no pé.
    Aproveito ainda para dar a conhecer o espaço de Co-work em Aveiro: o Fusion Co-Work (http://www.facebook.com/FUSIONCoWork)

  9. Henrique diz:

    Alguns maus Freelancers podem dar mau nome aos profissionais, e estes maus freelancers ao prestarem maus serviços estão a diminuir oportunidades futuras. Algo que os Freelancers não devem esquecer é que um dia serão profissionais e, tentem imaginar-se numa empresa onde o Patrão pode acabar por ver o péssimo trabalho que realizaram no passado…

Deixe o seu comentário

Parceiros

Slot 4

Rede SerFreelancer

ConcursosArte

Destaques

ConcursosArte ConcursosArte

Top Comentadores do Mês

  • Coloca o teu nome no Top! Comenta!